Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 03/12/2018

Atualidades

BM promete US$ 200 bilhões para combater mudança climática

O órgão com sede em Washington detalhou que este programa pretende "reconhecer o impacto da mudança climática na vida das pessoas", especialmente nos países mais pobres do mundo e em desenvolvimento.


A presidente do Banco Mundial, Kristalina Grigorieva, na COP24. — Foto: Twitter (Kristalina Grigorieva)


O Banco Mundial (BM) anunciou no último domingo um plano de investimento de US$ 200 bilhões para combater a mudança climática entre 2021 e 2025, um número que duplica a quantidade do período anterior.


O órgão com sede em Washington detalhou que este programa, cujo anúncio coincidiu com o início da Cúpula do Clima da Polônia, pretende "reconhecer o impacto da mudança climática na vida das pessoas", especialmente nos países mais pobres do mundo e em desenvolvimento.


"A mudança climática é uma ameaça existencial para os mais pobres e vulneráveis do mundo. Estes novos objetivos demonstram o quanto seriamente estamos levando esta questão", afirmou em comunicado o presidente do Grupo Banco Mundial, Jim Yong Kim.


Nessa nota, Kim pediu à comunidade global que tome mais ações contra a mudança climática.


O pacote anunciado pelo BM tem o objetivo de construir sistemas de proteção social contra a mudança climática em 40 países e financiar "investimentos em agricultura inteligente" em 20 países.


Além disso, pretende ajudar cem cidades para que alcancem um planejamento urbano "sustentado e de baixa emissão de carbono" e um desenvolvimento orientado ao trânsito, entre outras iniciativas.


O BM contribuirá com a metade dos fundos do plano, enquanto o resto será arrecadado pela Corporação Financeira Internacional, pela Agência Multilateral de Garantia de Investimentos e recursos de capital privado.


O anúncio do BM coincide com o início da Cúpula do Clima (COP24), que começou neste domingo em Katowice (Polônia) com a missão de encontrar as fórmulas para implementar o Acordo de Paris de 2015, que pede para se frear o aquecimento global baixando de forma drástica as emissões poluentes.

EFE