Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 31/10/2017

Fique por dentro

Igrejas são fechadas no Egito e cristãos protestam: "É como se orar fosse um crime"

Autoridades do sul de Minya (Egito) já fecharam três igrejas em diferentes aldeias e cristãos têm protestado contra a perseguição que sofrem há anos.


Cristãos protestam nas ruas do Egito. (Foto: Christians in Pakistan)

Após o fechamento de várias igrejas nas últimas semanas, os cristãos coptas no sul do Egito renovaram os apelos às autoridades locais para que acabem com a discriminação.

Duas igrejas em duas aldeias separadas da província do sul de Minya foram encerradas pelas autoridades, conforme denunciou uma declaração da Diocese de Minya.

O comunicado oficial disse que cristãos foram assediados em ambas igrejas e atacados com pedras em uma delas.

"Ficamos calados por duas semanas após o fechamento de uma das igrejas, mas devido ao nosso silêncio a situação piorou ... é como se a oração fosse um crime pelo qual os coptas deveriam ser punidos", afirmou o comunicado, que foi lançado no sábado.

Uma terceira igreja foi fechada após rumores de um ataque pendente, mas a diocese disse que nenhum ataque ocorreu e a igreja permanece fechada.

O porta-voz da diretoria de segurança da Minya não quis comentar o assunto. O escritório do governador também não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre a questão.

Os cristãos coptas, que representam 10 por cento da população egípcia de quase 95 milhões, dizem que têm sido perseguidos há anos. Muitos sentem que o Estado não leva a esta situação a sério.

No entanto, os coptas são apoiadores vocais do presidente Abdel Fattah al-Sisi, que prometeu "esmagar o extremismo islâmico e proteger os cristãos". Ele declarou um estado de emergência de três meses na sequência de dois bombardeios a igrejas, ocorridos em abril e têm sido renovados desde então.

Embora o Estado islâmico tenha travado uma guerra de baixo nível contra soldados e policiais na península do Sinai, no Egito, o grupo terrorista intensificou seu ataque a civis cristãos no continente.

Em um ataque reivindicado pelo grupo em maio, homens armados emboscaram um grupo de cristãos coptas que viajavam para um mosteiro em Minya, matando 29 pessoas e ferindo 24.

guiame.com.br