Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 17/07/2017

Atualidades

Líder do Estado Islâmico está vivo e escondido na Síria, afirma autoridade curda

'Ele não é uma figura fácil. Ele tem anos de experiência em se esconder e em escapar de serviços de segurança', afirmou Lahur Talabany, que diz acreditar que Abu Bakr al-Baghdadi segue escondido em Raqqa.


Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Estado Islâmico, durante sermão em uma mesquita de Mosul, no Iraque. A imagem foi retirada de um vídeo divulgado em julho de 2014 (Foto: Al-Furqan Media / Anadolu Agency / AFP /Arquivo )


Uma importante autoridade curda de combate ao terrorismo disse nesta segunda-feira ter 99 por cento de certeza que o líder máximo do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, está vivo e localizado ao sul da cidade síria de Raqqa, apesar de relatos de que ele teria sido morto.

"Baghdadi está definitivamente vivo. Ele não está morto. Nós temos informações de que ele está vivo. Nós acreditamos 99 por cento que ele está vivo", disse Lahur Talabany à Reuters durante entrevista.

"Não se esqueça que suas origens datam dos dias da Al Qaeda no Iraque. Ele estava se escondendo dos serviços de segurança. Ele sabe o que está fazendo", acrescentou.

O reservado líder do Estado Islâmico tem sido frequentemente relatado como morto ou ferido desde que declarou um califado e se intitulou líder de todos os muçulmanos em um discurso de uma mesquita em Mosul em 2014.

Ele agora é um fugitivo, mas ainda um inimigo forte, disse Talabany, que tem estado à frente dos esforços para rastrear Baghdadi como parte da coalizão internacional contra o Estado Islâmico.

"Ele não é uma figura fácil. Ele tem anos de experiência em se esconder e em escapar de serviços de segurança", disse Talabany.

Na última semana, a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos, que acompanha a guerra na Síria, afirmou que Baghdadi está morto. Os Estados Unidos, no entanto, afirmaram diversas vezes que não podem confirmar a morte do terrorista.

Em 16 de junho, o Ministério Defesa da Rússia tinha afirmado que um ataque aéreo russo de 28 de maio pode ter matado Baghdadi em Raqqa, cidade no centro-norte da Síria que é o principal reduto do grupo terrorista no país.



Veja também:
                                                                                                                                                         

g1.globo.com