Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Portal da Igreja do Evangelho Quadrangular

Publicado em 29/03/2017

Atualidades

São Paulo desliga TV analógica, mas 2 milhões de casas ainda não têm conversor

Desligamento só foi confirmado ontem pelo governo, que garante que 90% dos domicílios já estão preparados para receber o sinal digital na região metropolitana de São Paulo


Para ter acesso ao sinal digital de televisão, moradores de precisam de conversores ou de televisores compatíveis.


O sinal analógico de TV será desligado às 23h59 desta quarta-feira, 29, em São Paulo e em 38 cidades da região metropolitana. São Paulo é a segunda capital a ter o sinal analógico desligado no País, seis meses depois de Brasília, no Distrito Federal. Segundo especialistas, trata-se da maior migração de sinal analógico para digital do mundo em número de pessoas atingidas.

O desligamento já estava previsto para hoje, mas só foi confirmado ontem pelo Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV (Gired), após reunião em Brasília. Na ocasião, foi apresentada uma pesquisa do Ibope que atesta que 90% dos domicílios na Grande São Paulo estão preparados para o sinal digital.

A porcentagem é menor que a meta estabelecida pelo governo para autorizar o procedimento (93%). Na prática, uma parcela de 2 milhões de casas (10% do total) da Grande São Paulo não está pronta para receber o sinal digital. Como não possuem um conversor instalado na TV ou televisor compatível, os moradores dessas casas não conseguirão assistir à programação da TV aberta.

De acordo com o Gired, a margem de erro da pesquisa é de 3 pontos porcentuais, o que pode elevar a taxa de domicílios aptos para 93%. No entanto, se aplicada para baixo, a mesma margem de erro pode indicar que somente 87% das residências estão preparadas. 

“O desligamento do sinal analógico é apenas uma das etapas da migração para o sinal digital”, afirma Antonio Martelleto, presidente da Seja Digital, empresa criada pelas operadoras para coordenar a transição. “Ainda não terminamos o nosso trabalho.”

Para especialistas, é inevitável que surjam problemas nos próximos dias. “Este é o maior desligamento de sinal analógico do mundo. Fazer este processo abaixo de 93% (de domicílios prontos) é um risco”, afirma Marcelo Zuffo, professor da Escola Politécnica da USP e um dos responsáveis pela escolha do padrão de TV digital adotado no Brasil. “Sem dúvida, nos próximos dias, haverá pessoas sem TV sem saber o motivo.”

A meta da Seja Digital é cobrir 99% da casas em dois meses. A empresa tenta alcançar a população carente. “Distribuímos 1,3 milhão de kits em São Paulo para beneficiários do Bolsa Família e Cadastro Único”, diz Martelleto, que vai entregar mais 500 mil conversores.

Desocupação. O desligamento do sinal analógico começou com um projeto-piloto em Rio Verde, interior de Goiás, em março de 2016. Na época, a distribuição de conversores já era um dos principais desafios. As demais capitais do País terão o sinal desligado até 2018, segundo calendário do Ministério das Comunicações.

O governo vai desligar o sinal analógico de TV, pois há canais na faixa dos 700 MHz. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) leiloou essa frequência a operadoras de telefonia móvel, em 2014. Ela será usada, a partir de 2019, para a cobertura da banda larga móvel (4G).

http://estadao.com.br/

Matheus Mans